YouTuber de vídeos educacionais para crianças é indiciado por posse e recebimento de milhares de imagens de pornografia infantil

Um homem do condado de Kane, nos EUA, conhecido no YouTube como ‘The Happy Scientist‘ (O Cientista Feliz), foi preso por vários crimes de exploração sexual infantil, depois que os investigadores encontraram “milhares e milhares” de imagens pornográficas envolvendo menores de 12 anos.

John Robert Krampf, de 64 anos, foi acusado no início deste mês depois que um mandado de busca foi cumprido pela Força-Tarefa de Crimes contra Crianças na Internet em sua casa, em Kanab, por posse de material de abuso infantil.

Krampf foi indiciado em tribunal federal dos EUA na quinta-feira passada (17) por uma acusação de posse de pornografia infantil e uma acusação de recebimento de pornografia infantil.

De acordo com a declaração de causa provável, Krampf admitiu usar vários programas de compartilhamento de arquivos online para baixar imagens de material de abuso infantil, com seu conteúdo baixado mais recentemente ocorrendo em agosto de 2020.

A revisão de computadores e dispositivos de armazenamento eletrônico por investigadores resultou em milhares de imagens e vídeos de materiais de abuso infantil, disse o comunicado da polícia.

Em um artigo do St. George News, a quantidade de dados recuperados levou os investigadores a acreditar que Krampf “aparentemente fazia isso há muito tempo”.

Além disso, conforme relatado pelo St. George News, os investigadores descobriram que Krampf produziu uma série de vídeos educacionais para crianças em idade escolar relacionados a vários assuntos científicos no YouTube.

A coleção de vídeos, intitulada “The Happy Scientist”, é narrada por Krampf. Um dos vídeos, chamado “Slippery Squirrel” (Esquilo Escorregadio), foi visto mais de 3,3 milhões de vezes.

Krampf deve comparecer (virtualmente) no Tribunal Distrital dos Estados Unidos em St. George perante o juiz Paul Kohler nessa semana. Ele permanece sob custódia porque não há sistema de fiança em casos federais.

Se condenado, o popular YouTuber cumprirá no mínimo 5 anos de prisão federal, podendo ter a pena ampliada. Seu julgamento está agendado para esta semana.