XP manterá todos os funcionários em home office até o final do ano

A XP anunciou nesta quarta-feira (13) que manterá todos os seus 2.700 funcionários diretos em home office em até o final do ano.

A companhia, que já havia adotado o trabalho remoto para seus funcionários desde março, ante o avanço da pandemia do coronavírus, afirmou também que estuda implementar o home office de maneira permanente.

Segundo Guilherme Sant’Anna, sócio responsável pela área de gente e gestão da XP, o isolamento social aponta para uma mudança dos espaços físicos tradicionais. Ele diz que medidas adicionais serão adotadas conforme a conveniência e necessidade dos empregados, de forma a garantir a melhor adaptação ao novo modelo de trabalho.

“Já somos uma empresa digital, sem a dependência de o cliente nos visitar em uma agência. A nossa cultura permitiu um ajuste rápido ao cenário atual e a experiência está nos trazendo uma série de aprendizados que podem se transformar em uma nova maneira de encarar a vida corporativa na XP”, afirmou Sant’Anna.

Para ele, a medida permitirá que os funcionários tenham melhor qualidade de vida e que trabalhem de onde preferirem -tanto no Brasil quanto no exterior.

A decisão foi baseada em estudos internos e pesquisas de satisfação com trabalhadores e clientes que mostraram melhora desde o início da quarentena. Os números, segundo a companhia, mostraram que o trabalho remoto é eficaz e eficiente na condução dos negócios.

A companhia também afirmou que continuará com presença nas principais cidades do país por meio dos agentes autônomos parceiros e com escritórios nos principais centros financeiros do mundo. Disse, ainda, que estuda transformar as estruturas físicas atuais em “escritórios-conceito”, com o objetivo de apoiar demandas específicas.

“A tendência é não termos mais espaço ocupado por estações de trabalho fixas na XP. Temos os próximos meses para definir o novo modelo de trabalho que, com certeza, será melhor para os nossos colaboradores”, disse Sant’Anna.

A companhia afirmou, em nota, que deve contratar cerca de 600 profissionais neste ano para atuar em diversas áreas, principalmente naquelas relacionadas à tecnologia.