Trump diz que tropas dos EUA no Afeganistão devem estar “em casa no Natal”

O Presidente dos EUA, Donald Trump, tuitou na quarta-feira (7) que o “pequeno número restante” das tropas dos EUA atualmente no Afeganistão estará em casa no Natal.

“Devemos ter o pequeno número restante de nossos bravos homens e mulheres servindo no Afeganistão em casa até o Natal!”, escreveu Trump.

Em julho, o número de tropas americanas no Afeganistão caiu para cerca de 8.600 e, em agosto, Trump e o Secretário de Defesa, Mark Esper, indicaram planos para reduzir o número de tropas americanas no Afeganistão para menos de 5.000 até o final de novembro.

O New York Times relatou na quarta-feira (7) que o Conselheiro de Segurança Nacional, Robert O’Brien, anunciou que os níveis de tropas dos EUA no Afeganistão já haviam caído para menos de 5.000 e que os EUA planejavam reduzir os níveis de tropas para cerca de 2.500 no início de 2021.

“Quando o Presidente Trump assumiu o cargo, havia mais de 10.000 soldados americanos no Afeganistão”, disse O’Brien durante um evento na Universidade de Nevada, em Las Vegas. “Hoje, são menos de 5.000, e isso vai para 2.500 no início do próximo ano.”

O tweet de Trump na quarta-feira (7) sugeriu um cronograma ainda mais rápido para a retirada total das tropas americanas no Afeganistão antes do final de 2020.

Os movimentos de redução de tropas dos EUA acontecem no momento em que as negociações intra-afegãs entre representantes do Talibã e do governo afegão começaram em setembro em Doha, no Catar.

Apesar do início das negociações de paz, os combates entre o Talibã e o governo afegão continuaram.

Na quarta-feira (7), o enviado especial dos EUA ao Afeganistão, Zalmay Khalilzad, expressou otimismo de que as negociações de paz avançariam.

“A esmagadora maioria dos afegãos gostaria de ver o fim do conflito”, disse Khalilzad em uma chamada de vídeo de Doha durante um fórum do Instituto Pearson da Universidade de Chicago, relatado pela AFP.

“Eu acredito que o Talibã leva muito a sério as negociações”, disse Khalilzad. “Muitos pensaram que não se sentariam à mesa em relação ao governo afegão – que tudo o que queriam era um acordo para a retirada das forças dos EUA. Mas agora eles estão sentados do outro lado da mesa.”

O presidente afegão, Ashraf Ghani, falando em Doha na terça-feira (6), pediu ao Talibã que “tenha coragem” e declare um cessar-fogo nacional.