Trump anuncia lista de candidatos potenciais à Suprema Corte dos EUA

O presidente americano, Donald Trump, escolheu três senadores para sua nova lista de possíveis indicados à Suprema Corte dos EUA – o mais alto tribunal federal dos Estados Unidos. Os senadores Ted Cruz (Texas), Tom Cotton (Arkansas) e Josh Hawley (Missouri) são todos conservadores que certamente irão irritar a esquerda, que anda insatisfeita com a tendência conservadora dos nomeados indicados por Trump para o poder judicial nos últimos quatro anos.

John Malcolm, um acadêmico jurídico conservador que dirige o Centro Edwin Meese no think tank conservador Heritage Foundation, entregou à Casa Branca sua própria lista de possíveis nomeados para a Suprema Corte, vários dos quais chegaram a Trump. Quando se trata dos três senadores na nova lista, Malcolm afirmou que experiência no Senado não significa falta de experiência judicial.

Ele observou: “Tanto o senador Hawley quanto Cruz trabalharam para os juízes da Suprema Corte. O senador Cruz já argumentou várias vezes perante a Suprema Corte dos Estados Unidos. Então, certamente acho que eles são qualificados.”

Outra escolha que provavelmente causará a ira da esquerda americana é o juiz Stuart Kyle Duncan, do 5º Circuito de Apelações, que trabalhou durante anos defendendo as causas pró-vida e liberdade religiosa enquanto trabalhava no Fundo Becket para Liberdade Religiosa.

O juiz Lawrence Van Dyke, do 9º Circuito de Apelações, é outro nome pol^mico na nova lista de Trump. Ele foi rotulado por alguns da esquerda como um “oponente homofóbico dos direitos ao aborto, controle de armas e proteção ambiental” depois que Trump o indicou para o Tribunal de Apelações do 9º Circuito.

No entanto, os grupos pró-vida foram rápidos em elogiar a lista e os que estavam nela.

“A lista mais recente do Presidente Trump da Suprema Corte está repleta de estrelas”, declarou Marjorie Jones Dannenfelser, presidente da Susan B. Anthony List (SBA List), uma organização política americana que busca promover mulheres pró-vida na política. “A lista reflete o compromisso firme e comprovado do Presidente de nomear apenas juízes para a Suprema Corte que respeitarão a Constituição e o direito inalienável à vida.”

O presidente da ‘Aliança Defendendo a Liberdade’ (Alliance Defending Freedom), Michael Farris, declarou: “Qualquer juiz ou magistrado deve interpretar a Constituição fielmente, o que significa proteger o direito à vida e o direito de falar, viver e trabalhar pacificamente, de acordo com as crenças religiosas do indivíduo. O Presidente prometeu nomear juízes comprometidos em fazer exatamente isso.”

Também elogiando as escolhas de Trump, a presidente da Marcha Pela Vida (March for Life), Jeanne Mancini declarou: “Uma das maiores conquistas do Presidente Trump foi a restauração do sistema judicial por meio da nomeação de juízes que respeitam a vida e a Constituição dos Estados Unidos.”

Mancini acrescentou: “Prevemos que o processo continuará em um segundo mandato e esperamos o dia em que os tribunais reconhecerão a dignidade inerente de toda vida humana”.

“O Presidente Trump continua a cumprir sua promessa de transformar o judiciário federal, e sua mais nova lista de possíveis escolhas da Suprema Corte é mais uma prova disso”, disse Maureen Ferguson, da Associação Católica (The Catholic Association). “Ao divulgar esta lista ampliada, ele traz transparência e clareza aos eleitores americanos que se preocupam com o estado de direito e a defesa de nossos direitos constitucionais”.

A lista de Biden

Trump criticou o opositor Joe Biden por não produzir sua própria lista, mas conjeturou que Biden não o está fazendo por medo de que isso lhe cause problemas com a maioria do povo americano.

“Porque ele [Biden] sabe que os nomes são tão de extrema-esquerda que nunca poderiam resistir ao escrutínio público ou serem aceitos”, apontou Trump.

O presidente americano então descreveu sua visão de que tipo de Suprema Corte Joe Biden construiria, dizendo: “Isso transformará fundamentalmente a América sem um único voto do Congresso. Os juízes radicais vão apagar a 2ª Emenda, silenciar o discurso político e exigir que os contribuintes financiem o aborto de prazo extremamente tardio”.

Ferguson, da Associação Católica, afirmou depois que Trump divulgou sua lista: “Os eleitores ficam se perguntando por que Joe Biden não os trata com o mesmo respeito e lança uma lista própria”.

Dannenfelser, da SBA List, suspeita que seja porque, como ela disse, “Em contraste com o Presidente Trump, Joe Biden só nomeará os juízes da Suprema Corte que apoiarão o regime Roe, que permite o aborto sob demanda por meio do nascimento”.

Então, divulgar sua própria lista poderia fazer com que Biden perdesse mais votos do que lhe daria.

Malcolm, da Heritage Foundation, disse com um sorriso: “Acho que isso é algo que provavelmente passou pela cabeça de Joe Biden. Eu sei que isso passou pela cabeça de Donald Trump.”

Os conservadores (Republicanos) acreditam que a agenda progressista da esquerda (Democratas) está tão nítida que a escolha deles para a lista da Corte Suprema assustaria os eleitores indecisos. E se Biden tiver alguma chance nas eleições de novembro, ele precisaria desses eleitores indecisos.