O estado de São Paulo registrou 334 mortes por covid-19 nas últimas 24 horas – o maior já computado desde o início da pandemia. O total de óbitos chegou a 9.522 e o número de casos é de 150.138, um aumento de 5.545 infectados, segundo a secretaria estadual de Saúde.

Os pacientes internados em UTI são 4.481 e 8.073 em enfermarias de casos confirmados e suspeitos. O total de pacientes recuperados é de 28.787. A taxa de ocupação das UTIs no estado é de 68,6% e, na Grande São Paulo, de 74,1%.

O secretário Desenvolvimento Regional do Estado de São Paulo, Marco Vinholi, justificou que apesar da alta de casos, o estado teve uma participação menor no total de contaminados no Brasil. “Mesmo neste momento de retomada das atividades em São Paulo, a quarentena segue e a população de modo geral tem mantido os níveis que registrados antes desse momento. Portanto, é fundamental dizer que mesmo com o aumento da testagem, com esse processo de retomada, São Paulo segue diminuindo sua participação no número de casos em relação ao Brasil. Nós éramos 68% no início da pandemia, fomos caindo e hoje atingimos um número inferior a 20,5% dos casos do país”, argumentou.

Já a taxa de isolamento nesta segunda (8) foi de 48% na capital paulista e 47% no estado de São Paulo. De acordo com a secretaria de Desenvolvimento Econômico, o isolamento social possibilita que 90 mil vidas sejam poupadas e 1,5 milhão de pessoas deixem de ser contaminadas até o fim de junho. A Prefeitura de São Paulo vai autorizar o funcionamento do comércio de rua a reabrir a partir desta quarta-feira (10).