Ricardo Barros, líder do governo na Câmara, é alvo de operação do Ministério Público e Polícia Civil

O líder do governo Bolsonaro na Câmara, o deputado federal Ricardo Barros (PP) é alvo, nesta quarta-feira (16), de mandado judicial cumprido pelo Ministério Público do Paraná (MPPR) e pela Polícia Civil.

As buscas ocorrem no escritório do parlamentar localizado em Maringá/PR.

As investigações envolvem supostas fraudes na contratação de energia elétrica em 2019.

O deputado também é suspeito de intermediar contratos, de forma ilegal, junto à Copel, a estatal de energia elétrica do Paraná, segundo informações do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado).

Com relação ao caso da Copel, as acusações contra Barros foram feitas por delatores da Galvão Engenharia e envolvem pagamento de propina de R$ 5 milhões.

Ricardo Barros assumiu a liderança do governo na Câmara no dia 19 de agosto no lugar do deputado federal Major Vitor Hugo (PSL-GO). A substituição foi promovida pelo presidente Jair Bolsonaro, que resolveu dar mais espaço para o Centrão no governo.

OUTRO LADO

A assessoria de Ricardo Barros emitiu nota oficial. De acordo com a equipe do deputado, ele está tranquilo e seguirá colaborando com as apurações.

A defesa de Barros já ingressou com pedido de acesso ao processo para poder prestar mais esclarecimentos à sociedade e iniciar sua defesa.

“Ricardo Barros, relator da lei de abuso de autoridade, repudia o ativismo político do judiciário”, diz trecho da nota.

*Matéria atualizada às 10:29h de 16/09/2020 para acréscimo de informações.