A prefeitura de Paulo Afonso decretou a suspensão das atividades comerciais na cidade de 13 a 17 de junho. O decreto foi publicado nesta quarta-feira (10) no Diário Oficial do Município. A determinação é mais uma medida adotada para enfrentar o coronavírus.

Segundo a administração municipal, o fechamento foi acordado com a Associação Comercial de Paulo Afonso (Ascopa), a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) e o Sindicato Patronal (Sinpa). Não poderão abrir supermercados, atacados, mercadinhos, hortifrutis, conveniência de postos de gasolina e afins.

Durante o período restritivo, as feiras livres funcionarão de forma alternada: o mercado público (Ceapa), a feira coberta e a feirinha funcionarão exclusivamente na sexta-feira (12) e a feira da Ceasa (BTN) será antecipada para o sábado (13). O espaçamento mínimo de dois metros entre as bancas deverá ser respeitado. As padarias funcionarão para atendimento ao público das 6h às 12h.

Não abrirão instituições financeiras, casas lotéricas e correspondentes bancários, inclusive o serviço de autoatendimento (caixas eletrônicos) entre os dias 13 a 17 de junho. Também ficam suspensas atividades em clubes, associações de futebol, academias, bares, restaurantes, casas de eventos, salões de beleza, templos religiosos e pontos turísticos, entre outros.

A prefeitura decidiu ainda que não permitirá, pelo tempo em que vigorar a situação de emergência, o acesso de transportes coletivos intermunicipais de passageiros vindos de outras cidades. A proibição abrange ônibus, micro-ônibus, vans, topics e táxi-lotação.