Pompeo diz que China posicionou 60.000 soldados na fronteira com a Índia

A China posicionou dezenas de milhares de soldados na fronteira norte da Índia, disse o secretário de Estado dos EUA, Michael Pompeo, em mais sinais de que um impasse militar mortal entre os dois países mais populosos do mundo está longe de esfriar.

“Os indianos estão vendo 60.000 soldados chineses em sua fronteira norte”, disse Pompeo à Fox News na sexta-feira (9). Cada uma das três principais democracias do Indo-pacífico – Índia, Austrália e Japão – que formam o chamado Quad junto com os EUA, está sob ameaça do Partido Comunista Chinês, disse Pompeo, de acordo com um comunicado divulgado pelo Departamento de Estado dos EUA.

Pompeo também criticou a resposta da China à pandemia do vírus chinês e sua infraestrutura de telecomunicações, e disse que o país rouba propriedade intelectual. O presidente americano, Donald Trump, prometeu levar a sério a ameaça de Xi Jinping e do Partido Comunista Chinês, e disse que “não vai mais permitir que eles saiam dessa de graça e imponham sua visão de futuro sobre o Ocidente”, informou Pompeo.

O comentário veio após uma segunda reunião de nível ministerial do “The Quad” (uma aliança informal formada pelos EUA, a Austrália, a Índia e o Japão) em Tóquio na semana passada, na qual Pompeo convocou os participantes a se unirem como uma grande coligação no Indo-pacífico contra a coerção e expansão da chinesa na região.

O governo Trump criticou Pequim em muitos tópicos, desde a política comercial ao vírus chinês, enquanto a Índia está cada vez mais desconfiada da influência econômica e militar chinesa no sul da Ásia.

Segunda reunião do “The Quad” em Tóquio na semana passada.