Pesquisa alemã mostra: “Baixo risco de contaminação em aeronaves”

Dos 102 passageiros de um voo do Boeing 737 de Tel Aviv a Frankfurt em março passado, sete estavam infectados com o coronavírus chinês. Surpreendentemente, uma pesquisa descobriu que apenas dois dos passageiros restantes foram infectados por esses portadores do vírus.

Após a chegada do avião de passageiros em Frankfurt, na Alemanha, descobriu-se que 7 dos 102 passageiros estavam infectados com o vírus.

De acordo com a pesquisa publicada em 18 de agosto no JAMA Network, pesquisadores alemães reavaliaram os dados de morbidade deste voo do Boeing 737 de Tel Aviv a Frankfurt. Eles descobriram que durante o voo, que durou 4 horas e 40 minutos, apenas 2 pessoas foram infectadas pelas 7 pessoas infectadas no avião.

E isso numa época em que não havia regras para voar como o distanciamento social ou o uso de máscaras bucais.

Os sete passageiros infectados faziam parte de um grupo de 78 turistas alemães que visitaram Israel e descobriram que infectaram apenas 2 outros passageiros sentados nas mesmas fileiras.

Dr. Adalah, especialista em doenças infecciosas da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos, explicou que esta é uma boa notícia.

“É incrível que apenas duas pessoas tenham se infectado enquanto sentavam perto de sete pacientes confirmados com coronavírus por horas a fio”, disse Adalah.

Outro médico da universidade, Dr. Chesk, acrescentou que “o fluxo de ar específico no avião ajudou a reduzir a contaminação, e isso sem os passageiros usando máscaras e mantendo distância. Voar é uma atividade que parece ser a menos perigosa”.