‘O diabo e Karl Marx’: O Pai do Comunismo fez um pacto com Satanás?

O comunismo é intrinsecamente mau; trouxe um desastre econômico e social em todos os países onde já foi implantado. Portanto, não é nenhuma surpresa que seu fundador tivesse fascínio pelo diabo.

Karl Marx (1818-1883), o Pai do Comunismo, certa vez escreveu: “Assim, o Céu eu perdi, e sei disso muito bem. Minha alma, que já foi fiel a Deus, está escolhida para o Inferno. Nada, senão a vingança, restou para mim. Eu desejo me vingar contra Aquele que governa lá em cima.” Essas palavras, do poema “A Donzela Pálida”, são apenas um exemplo dos verdadeiros sentimentos de Marx. Ele também chamou a religião de “o ópio das massas”.

Em seu “Manifesto Comunista”, Karl Marx clamou por um governo no qual o Estado possua tudo, com todos supostamente compartilhando igualmente os benefícios do trabalho por meio da redistribuição da riqueza.

Por mais de cem anos, a ideologia comunista de Marx foi testada em todo o mundo e, sem exceção, resultou em opressão, pobreza e morte.

Somente no século XX, os regimes comunistas levaram ao massacre de mais de 140 milhões de pessoas.

Em um programa de TV americano da CBN chamado ‘The 700 Club‘, os apresentadores entrevistaram o escritor americano Paul Kengor. Durante a entrevista, o escritor diz que o ateísmo é um princípio fundamental da ideologia comunista. Em seu novo livro, ‘The Devil and Karl Marx: Communism’s Long March of Death, Deception, and Infiltration‘(O Diabo e Karl Marx: a longa marcha da morte, decepção e infiltração do comunismo, tradução livre), Kengor sugere que, para Marx, pode ter ocorrido algo além de uma simples rejeição a Deus e à religião. Marx pode ter feito uma espécie de pacto com o próprio Satanás.

“Ele rejeitou a Deus quando foi para a faculdade”, explica Kengor.

O escritor diz que Marx realmente decaiu a partir daí.

O racismo de Marx

“Karl Marx, que veio de uma família de rabinos, tornou-se muito antissemita. E como também documento neste livro, ele era um racista absoluto. E se há algo … Eu sei do histórico de Patrice Cullors, a fundadora da Black Lives Matter, ela diz que eles passaram um ano lendo Marx e Lenin e Mao e ela diz que é uma marxista treinada. Eu gostaria que ela soubesse que Marx é racista, e um racista absoluto que usava a palavra com N [nigger*] frequentemente e de maneiras muito vulgares. Mas, infelizmente, tantos jovens hoje que foram educados em nossa universidade não sabem nada sobre esse lado sombrio e desagradável de Karl Marx”.

* “Nigger”, a tradução literal seria “negro”, mas não é bem isso. “Nigger”, ou “nigga”, é um termo pejorativo, altamente preconceituoso para os americanos.