Moradores de Vera Cruz denunciam aglomeração em comércios após Prefeitura flexibilizar medidas restritivas

Com quatro casos confirmados de Covid-19, o município de Vera Cruz convive há quase um mês com o sucessivo afrouxamento das normas de funcionamento de comércios e estabelecimentos com mais de 200m². Nesta semana, moradores denunciaram ao BNews um aumento na aglomeração em diversos pontos da cidade.

O decreto de Nº 39/2020 foi publicado no dia 7 de abril, antes de ser confirmado o primeiro caso de Covid-19 em Vera Cruz, que veio a acontecer no dia 11. Pouco menos de um mês após a decisão da reabertura “gradual” dos estabelecimentos, a cidade contabiliza 4 casos da doença.

O texto limita a capacidade de clientes na loja por uma pessoa a cada 2m² , para evitar aglomerações, além de determinar marcações no chão para manter a distância das pessoas nos caixas. No dia 14, outro decreto determinou que os supermercados e lojas acima de 200m2 fornecessem máscaras de proteção para os funcionários, sob risco de interdição.

Uma semana depois, no dia 20 de abril, o prefeito Marcus Vinícius publicou um novo decreto, desta vez permitindo que as lojas atendam até 50% da sua capacidade, desde que sejam tomadas as devidas precauções relacionadas a higienização do espaço e exigência do uso de máscaras pelos clientes. 

Segue proibida a oferta de serviços como buffet, para evitar qualquer “contato compartilhado” entre os clientes.

O funcionamento de academias e serviços de profissionais de educação física também foram retomados, mas com regras para evitar aulas coletivas e de higienização de aparelhos.

Em contato com o BNews, a assessoria da Prefeitura de Vera Cruz informou que os agentes têm feito a fiscalização dos estabelecimentos para evitar aglomerações, assim como nas filas da Caixa Econômica Federal, que tem recebido pessoas que querem sacar o auxílio-emergencial. 

No entanto, admitiu que há dificuldade do entendimento dos moradores para que fiquem em casa e só saiam “em casos de maior necessidade”. A assessoria garante que a fiscalização nas lojas é “intensa” e que todos que permitiram aglomeração foram notificados.

A reportagem questionou se o prefeito Marco Vinícius planejava retomar decretos mais restritivos, mas até o momento da publicação não houve resposta.

A projeção da Secretaria de Saúde do Estado (Sesab) é a de que o pico de casos do novo coronavírus deve ocorrer entre o final de maio e início de junho.

O município de Vera Cruz registra 4 casos, sem nenhum óbito. A ilha vizinha de Itaparica soma outros três casos, também sem morte confirmada.