Líder opositor russo, Alexei Navalny, é hospitalizado por suspeita de envenenamento

Alexei Navalny, opositor ao governo de Vladimir Putin, na Rússia, está inconsciente no hospital, sob suspeita de envenenamento, segundo sua porta-voz, Kira Yarmysh. O ativista anticorrupção se sentiu mal durante um voo da Sibéria para Moscou e o avião fez um pouso de emergência em Omsk.

Kira Yarmysh suspeita que alguma substância havia sido misturada ao seu chá. A secretária de imprensa da Fundação Anticorrupção, fundada por Navalny em 2011 disse no Twitter: “Suspeitamos que Alexei foi envenenado por algo misturado ao chá. Foi a única coisa que ele bebeu desde a manhã. Os médicos estão dizendo que o agente tóxico é absorvido mais rapidamente em líquido quente. No momento, Alexei está inconsciente”.

Rússia nega envenenamento

O vice-médico-chefe do hospital na Sibéria disse que os médicos que cuidam de Navaldy não encontraram vestígios de veneno nos testes realizados.

Em uma conferência de imprensa na sexta-feira (21), o médico, Anatoly Kalinichenko, disse que o hospital já tinha um diagnóstico completo do estado de Navalny, mas que ainda não poderia divulgá-lo.

“O líder da oposição russa Alexei Navalny não foi envenenado”, disse o médico siberiano.

Transferência para a Alemanha

Preocupados com a segurança de Navalny, seus aliados querem tirá-lo do país para tratamento, mas o pedido foi rejeitado. O hospital siberiano que está tratando de Navalny se recusa a permitir que ele seja transferido para outra instalação mais bem equipada, onde possa receber melhores cuidados.

Kira Yarmysh disse que o hospital considerou o desejo de seus parentes de transferi-lo para outra unidade insuficiente para justificar tal ação.

“A proibição de transportar Navalny é um atentado contra sua vida”, escreveu Yarmysh nas redes sociais. Ela disse que os médicos haviam consentido anteriormente a sua transferência, mas negaram o acordo no último minuto.

“Essa decisão, é claro, não foi feita por eles, mas pelo Kremlin”, disse ela.

O médico-chefe do hospital, Alexander Murakhovsky, disse nesta manhã de sexta-feira (21) que a condição do político melhorou um pouco, mas que ainda está instável e que tentar movê-lo pode representar um risco de vida.

Eleições russas

Navalny, advogado e ativista anticorrupção, tem sido um crítico ferrenho do presidente russo Vladimir Putin. Em junho, ele descreveu uma votação sobre as reformas constitucionais como um “golpe” e uma “violação da Constituição”. As reformas permitem que Putin cumpra mais dois mandatos.

Navalny cumpriu várias penas na prisão nos últimos anos por organizar protestos contra o Kremlin. Ele ajudou a divulgar investigações de alto impacto sobre o que ele disse serem exemplos escandalosos de corrupção.

O Tribunal Europeu dos Direitos Humanos decidiu que as prisões de Navalny na Rússia em 2012 e 2014 foram motivadas politicamente e violaram seus direitos humanos.

A Rússia realizará eleições regionais no próximo mês. Navalny e seus aliados estavam se preparando para elas, tentando aumentar o apoio aos candidatos que apoiam.

Outros casos de envenenamento

Em 2006, o ex-agente de inteligência, Alexander Litvinenko, morreu em um hospital de Londres depois de beber um chá misturado com um isótopo radioativo raro e letal.

Em 2018, outro ex-agente de inteligência militar, Sergei Skripal, e sua filha sofreram uma tentativa de assassinato, através de um ataque químico na cidade de Salisbury, no condado de Wiltshire, na Inglaterra, Reino Unido.

O Kremlin negou repetidamente ter acertado contas com seus inimigos ao assassiná-los.