EUA | Filho é condenado à prisão perpétua por matar, decepar e cozinhar partes dos corpos dos pais para receber benefícios de seguro de vida

Um tribunal do estado do Tennessee, nos EUA,  condenou Joel Guy Jr. (32) à prisão perpétua por matar seus pais de uma forma macabra no fim de semana de Ação de Graças em 2016 e se desfazer de seus corpos.

Segundo a agência de notícias AP, Joel Guy Jr. foi considerado culpado na sexta-feira (2), no condado de Knox, de duas acusações de homicídio premeditado em primeiro grau, três acusações de homicídio doloso e duas acusações de abuso de cadáver. Os promotores não solicitaram a pena de morte no caso.

Os promotores alegaram que ele esfaqueou fatalmente seus pais, Joel Guy Sr. (61) e Lisa Guy (55) e esquartejou seus corpos em uma trama para lucrar com US $ 500.000 em benefícios de seguro de vida, depois de saber que eles planejavam se aposentar e não pagariam mais suas contas.

Joel Guy Jr. nunca teve um emprego e fez cursos universitários na Louisiana State University, disse o The Knoxville News Sentinel.

Foi descoberto que ele retirou dinheiro das contas bancárias de seus pais para pagar o aluguel e as mensalidades da faculdade depois de esfaqueá-los dezenas de vezes em sua casa em Hardin Valley, de acordo com as autoridades. Ele então tentou dissolver seus restos em produtos químicos.

De acordo com o The Knoxville News Sentinel, o júri do condado de Knox levou cerca de três horas para condenar Joel Guy Jr. pelas mortes de seus pais.

O juiz do Tribunal Criminal do condado de Knox, Steve Sword, impôs uma sentença de prisão perpétua automática depois que ele foi condenado. Em 19 de novembro, Joel Guy Jr. deve voltar ao tribunal para uma sentença formal; será decidido se ele cumprirá duas penas de prisão perpétua consecutivamente.

O veredicto não foi inesperado, pois os promotores apresentaram uma grande quantidade de evidências apontando para o fato que condenou Joel Guy Jr.

Plano macabro

Os jurados também ouviram os detalhes horríveis sobre as mortes antes de votar para condenar Joel Guy Jr.: como ele cortou e desmembrou os cadáveres de seus pais para facilitar o descarte depois de matá-los.

Segundo promotor Leslie Nassos, Joel Guy Jr. desmembrou os pais e cozinhou a cabeça da mãe em uma panela no fogão. O promotor disse que o assassino tentou sem sucesso arrancar a pele das vítimas e dissolver seus corpos para encobrir os assassinatos. Em uma tentativa de dissolver os restos dos corpos em produtos químicos, os torsos e membros decepados do casal foram colocados em recipientes de armazenamento de plástico cheios de vários produtos químicos.

O promotor Leslie Nassos descreveu a cena horrível para os jurados:

“O assassino colocou as partes do corpo de Lisa em uma [panela], e de Joel Sr. em outra [panela], e então as cobriu com uma substância corrosiva e as deixou lá para se liquefazer em uma espécie de ensopado diabólico de restos humanos”, disse Nassos, de acordo com o The Sun.

Nassos passou a descrever como Joel Guy Jr. cortou a cabeça da própria mãe e a deixou para cozinhar em seu próprio ensopado horrível.

“Ele pegou uma panela, colocou a cabeça dela na panela, encheu com um líquido, levou ao fogão, tampou, ligou o fogão e deixou para cozinhar.”

O detetive Jeremy McCord do gabinete do xerife do condado de Knox descreveu a carnificina que encontrou dentro da casa como “a coisa mais horrível que já encontrei no trabalho da polícia – em minha vida”.

Panela usada no crime.

O irmão de Lisa, Alvin Madere Jr., disse ao tribunal que a mãe de Lisa Guy – avó de Joel Guy Jr – foi hospitalizada após os brutais assassinatos de 2016 e não se recuperou. Ela morreu um dia após o funeral de Lisa Guy, relatou o site Law and Crime.

“Papai era meu melhor amigo”, disse a meia-irmã de Joel Guy Jr, Angela Crane, ao tribunal. “E eu nunca vou conseguir ouvir sua risada novamente ou receber seus abraços simplesmente incríveis. Eu nunca vou sentar e brincar com ele, e ouvir as mesmas histórias que todos nós ouvimos repetidamente, mas elas ainda são tão hilárias porque meu pai era um contador de histórias.”

“Ela era a pessoa mais amorosa e generosa que já conheci”, disse Crane sobre Lisa Guy. “Ela era minha melhor amiga também. Ambos foram privados de ver seus netos crescerem.”

Durante o julgamento, o assassino Joel Guy Jr. não teve nenhuma reação emocional visível quando a família fez declarações sobre o impacto doloroso do assassinato do casal.

Assista, em Inglês, às declarações dos membros da família do casal morto perante o juiz e à reação fria do assassino durante o julgamento.