Disney estreia primeiro personagem bissexual em série animada sobre feitiçaria

Pela primeira vez na história da Disney, um personagem LGBTQ está desempenhando um papel principal em uma série animada que aparece no Disney Channel. “A Casa da Coruja” apresenta uma adolescente bissexual que explora sua sexualidade enquanto se dedica à feitiçaria.

“De inimigas a amigas e parceiras encantadas de dança, quem mais adora ver o relacionamento de Luz & Amity se fortalecer?”, escreveu a Disney no Twitter.

A personagem de 14 anos, Luz Noceda, mostrou afeto por personagens masculinos em episódios anteriores, mas começa a explorar a ideia de um relacionamento com uma mulher, informou a NBC News.

O anúncio vem após dois episódios da série que revelaram uma relação florescente entre Luz Noceda e a personagem feminina Amity Blight. Luz e a personagem Amity, vão ao “Grom” (uma espécie de baile de formatura) como um “casal” e que, na verdade, ambas são bissexuais.

A criadora da série, Dana Terrace, se identifica como bissexual e admite que ficou intrigada com a ideia de criar “crianças queer*” na história (*queer é forma da Agenda LGBT de designar todos que não se consideram heterossexuais).

“Fui muito aberta sobre a minha intenção de colocar crianças queer no elenco principal. Eu sou uma péssima mentirosa, então esconder teria sido difícil”, disse Terrace. “Alguns da liderança da Disney me disseram que eu não poderia representar nenhuma forma de relacionamento gay ou bi no canal.”

““Eu sou bi! Eu quero escrever sobre um personagem bi, caramba! Felizmente, minha teimosia valeu a pena, e agora sou muito apoiada pela atual liderança da Disney”, tuitou a criadora da série.

Terrace escreveu como é importante se manter firme e lutar por suas convicções.

“Representação é importante!”, escreveu. “Sempre lute para fazer o que VOCÊ quer ver!”

A Disney teve alguns personagens abertamente LGBTQ em sua série animada, mas eles geralmente desempenharam papéis menores. No filme Dois Irmãos: Uma Jornada Fantástica, a personagem Specter se identifica como lésbica. E em maio, a Disney Plus estreou “Out” da Pixar, que contava com o protagonista Greg, que estava lutando para dizer a seus pais que era homossexual.

Nos últimos anos, as crianças têm sido cada vez mais alvo da agenda LGBT em histórias animadas e outros entretenimentos familiares. Para muitos pais cristãos e conservadores, esses momentos gays estranhos e confusos na tela são difíceis de explicar aos filhos.

O evangelista americano Franklin Graham e outros conservadores pediram aos pais que boicotassem a “agenda LGBT” da Disney.

“Eles estão tentando empurrar a agenda LGBT para os corações e mentes de seus filhos – cuidado! A Disney tem o direito de fazer seus desenhos, é um país livre. Mas, como cristãos, também temos o direito de não apoiar sua empresa. Espero que os cristãos em todos os lugares digam não à Disney”, disse ele em um post no Facebook.

Leia também: Crianças – O alvo da agenda LGBT