Covid-19 | Com o lockdown mais longo e severo do mundo, Argentina é o país com mais mortes por milhão na média dos últimos 7 dias

A Argentina é o país com mais mortes por milhão de habitantes na média dos últimos 7 dias em casos de covid-19. Mesmo após 6 meses de confinamento, o lockdown mais longo e severo do mundo, segundo estatísticas compiladas pelo Our World In Data – que levam em consideração apenas nações com mais de um milhão de habitantes – o país alcançou o primeiro lugar em um ranking feito com médias móveis e atualizado pela última vez em 21 de setembro.

Segundo os dados levando em consideração apenas nações com mais de um milhão de habitantes, a Argentina aparece no topo com 5,06 mortes por milhão de habitantes, em segundo lugar está a Colômbia (3,60), e em terceiro lugar o Brasil (3,54).

Se os países com menor população forem incluídos na comparação mundial, a Argentina aparece em quarto lugar – com 5,06 mortes por milhão de pessoas -, Guam ocupa o primeiro lugar (7,62), Aruba o segundo (6,69) e Bonaire o terceiro (5,45).

Na segunda-feira (21), o jornal argentino Diario 26 informou que, segundo os dados do Sistema Nacional de Vigilância Sanitária (SNVS), houve um registro de 429 mortes e 8.782 novos casos nas últimas 24 horas na Argentina. Desde o início da pandemia, o país contabilizou 640.147 infectados, dos quais 508.563 são pacientes recuperados, 118.102 são confirmados ativos e 13.482 morreram.

Desde o início do surto, foram realizados 1.765.069 exames de diagnósticos para covid-19 e nas últimas 24 horas, 18.575 exames, o que equivale a 38.898,1 amostras por milhão de habitantes.

O país registra um crescimento diário significativo em casos confirmados e mortes por COVID-19. Apesar da quarentena aplicada através do isolamento social obrigatório desde o dia 20 de março, nas últimas semanas e em particular nos últimos dois meses a inclinação aumentou drasticamente.