Bolsonaro sobre nome de Chico Rodrigues como vice-líder do governo: indicado pelos líderes partidários

O presidente Jair Bolsonaro voltou a falar sobre a situação envolvendo o senador Chico Rodrigues (DEM-RR), encontrado com dinheiro na cueca durante operação da Polícia Federal (PF).

Durante live nas redes sociais nesta última quinta-feira (15), ele leu algumas manchetes de jornais associando de forma direta o parlamentar ao governo.

Por conta disso, Bolsonaro argumentou que o Executivo é formado apenas por ministros, estatais e bancos públicos, logo o caso que envolveu Chico, por exemplo, não poderia ser associado a ele ou ao seu comando.

“O que dói é você trabalhar igual a um desgraçado e uns idiotas aí te acusarem de corrupção”, disse.

“Alguns querem dizer que o caso de Roraima tem a ver com o governo porque ele é o meu vice-líder. Olha, pessoal. Eu tenho, no total, 18 vice-líderes no Congresso. Quinze na Câmara, que foram indicados pelos líderes partidários, e três no Senado, que é de comum acordo”, continuou.

Bolsonaro finalizou dizendo que o conhecimento de atuações, sejam elas suspeitas ou não, passam pela mão da Controladoria-Geral da União (CGU).

“Pode estar havendo corrupção em algum setor? Pode, não é fácil você administrar. Por exemplo: o Rogério Marinho tem 20 mil obras em execução. Como ele vai tomar conta dessas 20 mil obras? Ele faz em cima do critério da confiança, pede apoio da CGU.”