Bolsonaro é o primeiro Presidente do Brasil a discursar na ONU contra a perseguição aos cristãos e a cristofobia

O Presidente Jair Bolsonaro é o primeiro presidente do Brasil a discursar na ONU contra a perseguição aos cristãos e a cristofobia.

Durante seu discurso na 75ª Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas nesta última terça-feira (22), o presidente falou que como um membro fundador da ONU, o Brasil está comprometido com os princípios basilares da Carta das Nações Unidas: paz e segurança internacional, cooperação entre as nações, respeito aos direitos humanos e às liberdades fundamentais de todos.

Uma dessas liberdades fundamentais é a liberdade religiosa, que vem sido violada por muitos países, principalmente pelos que estão sob a liderança de um regime comunista ou islâmico. Estes regimes desempenham um papel enorme nos níveis de perseguição aos cristãos.

“A liberdade é o bem maior da humanidade. Faço um apelo a toda a comunidade internacional pela liberdade religiosa e pelo combate à cristofobia”, disse o Presidente.

Ele encerrou sua mensagem às nações destacando o papel da família e dos valores cristãos no Brasil, e declarando a benção de Deus sobre todos os povos.

“O Brasil é um país cristão e conservador e tem na família sua base. Deus abençoe a todos!”

Perseguição aos cristãos

Anualmente, a organização Portas Abertas lança uma Lista Mundial de Perseguição, identificando os 50 principais países onde é mais perigoso seguir Jesus Cristo. Segundo a organização, cerca de 260 milhões de cristãos foram afetados por níveis extremos de perseguição em 2019. Isso é superior aos 245 milhões do ano anterior.

Coreia do Norte, sob um regime comunista, ocupa o primeiro lugar novamente pelo 18º ano consecutivo como o pior lugar do mundo para os cristãos.

Na maioria dos 50 países principais, certamente foi o islã que alimentou a perseguição entre a maioria dos outros países que completam o top 10: Afeganistão, Somália, Líbia, Paquistão, Eritreia, Sudão, Iêmen, Irã e Índia. Com exceção da Índia, onde a perseguição aos cristãos vem aumentando preocupantemente, devido à visão de que “um indiano deve ser hindu”, então, qualquer outra fé – incluindo o cristianismo – é vista como religião estrangeira.

Segundo a Portas Abertas, todos os dias no ano passado, uma média de 8 cristãos foram mortos por sua fé , 23 foram estuprados ou assediados sexualmente por violência relacionada à fé, e semanalmente, 182 igrejas ou edifícios cristãos foram atacados e 276 casas de cristãos queimadas ou destruídas.

A Portas Abertas revela que 1 em cada 8 cristãos em todo o mundo vive em lugares onde eles sofrem altos níveis de perseguição por simplesmente acreditarem em Jesus Cristo.

Leia também: 260 milhões de cristãos foram afetados por níveis extremos de perseguição em 2019