Assassino de policial fora de serviço é condenado a 835 anos de prisão

Um assassino que atirou em um policial fora de serviço a sangue frio em Arkansas, nos EUA, foi condenado a duas penas de prisão perpétua e 835 anos de prisão.

Demarcus Donnell Parker, de 27 anos, atirou em um grupo rival de seu carro em 2018, durante uma briga de gangue, mas atingiu um policial em sua casa. O policial Oliver Johnson, de 25 anos, do Departamento de Polícia de Forrest City, não sobreviveu.

Quatro balas passaram pela janela de seu apartamento, onde Johnson morava com suas duas filhas. Quando as balas entraram, o pai estava jogando videogame com as filhas. As meninas viram o pai se levantar, após ele ouvir tiros do lado de fora. E em seguida, Johnson foi atingido.

Foi imputado dez anos extras de pena ao assassino por ele ter atirado na presença das filhas da vítima.

A polícia local disse à mídia americana que finalmente foi feita justiça ao policial, mas que “infelizmente, sua família não o terá de volta”.

O jovem policial Oliver Johnson, de 25 anos, assassinado a tiros em Arkansas, nos EUA.

No fim de semana passado, um monumento aos policiais mortos a tiros em Arkansas foi pichado por vândalos do Black Lives Matter (BLM) com os dizeres: “Defund the Police”, um slogan criado pela esquerda americana (por trás do BLM) para apoiar a alienação de fundos dos departamentos de polícia dos EUA.

O BLM vem aterrorizando cidades e criando o caos, principalmente nos EUA, ameaçando civis que não se dobram às exigências de submissão ao grupo, além de depredar o comércio e monumentos históricos com o pretexto de “luta contra o racismo”.