Após centro de Muay Thai fechar, alunos vendem pizza para ajudar professor em Aracaju

Desde os decretos dos governos estadual e municipal que proibiram o funcionamento de academias durante a pandemia, o educador físico Vinícius Nascimento, proprietário de um centro de treinamento de Muay Thai, o VN Training Center, localizado na Avenida Maria Pastora, em Aracaju, viu uma das fontes de renda da família desaparecer.

Em entrevista ao AjuNews, o professor relatou que alunos do centro de treinamento decidiram por conta própria fazer algo para ajudar o educador físico e sua família. Eles criaram um grupo no WhatsApp e compartilharam o vídeo de um professor vendendo álcool em gel no semáforo.

“Fizeram o grupo sem me colocar, botaram a minha esposa e falaram vamos também, porque as coisas estão começando a apertar e a gente também tem que ajudar o professor de alguma forma”, relatou Vinícius. Vinícius é casado com a fotógrafa Andressa Barreto, que também está sem trabalho no momento. Eles têm um filho de 5 anos, Lucas.

Eles então resolveram vender álcool em gel e máscaras que ganharam como doação para pagar as dívidas do centro. Depois, tiveram a ideia de inovar vendendo pizzas em frente ao supermercado do bairro.

“Algumas pessoas passavam, conheciam a gente e começavam a comprar. Voltamos para casa com algumas pizzas e ficamos na frente do CT. E aí começou a aparecer gente, pessoas que passavam para comprar pão e começaram a comprar”, recordou.

Também em conversa com a reportagem, ele comentou sobre uma foto do filho dele em frente ao centro de treinamento, que viralizou nas redes sociais. Segundo Vinícius, após o ocorrido, a ação ganhou mais apoiadores.

“Essa foto foi por acaso. Não foi intencional, a gente não sabia que essa foto ia viralizar, que ia surgir assim do nada e ia ter essa repercussão toda que está tendo. Na verdade, foi minha sogra que pediu para minha esposa tirar uma foto de como estava a arrumação aqui na frente. Aí, quando ela tirou a foto, ele estava sentado no banquinho ali na porta”, explicou o treinador.

Ele relata que a imagem chegou para gente fora do Brasil. “Teve uma mulher que entrou em contato da Argentina. Uma brasileira que viu e pediu a irmã dela, que não tem rede social, mas ligou e pediu para que viesse aqui no centro comprar as pizzas para ajudar”, lembrou.

Até a tarde desta segunda-feira (8), o professor relatou que tem recebido diversos pedidos. “Não sentamos ainda para contabilizar porque não paramos esse final de semana”, comemora.

Serviço
Quem quiser ajudar o centro de treinamento pode comprar as pizzas no local ou solicitar na modalidade delivery por meio do número (79) 99191-8685.