Alexandre Frota é denunciado por falsidade ideológica e MP aponta ‘forte suspeita’ de lavagem de dinheiro

O deputado federal Alexandre Frota (PSDB-SP) foi denunciado à Justiça pelo Ministério Público de São Paulo, nesta quarta-feira (23), pelo suposto crime de falsidade ideológica.

O parlamentar é acusado pelo promotor Marcelo Mendroni de usar o ex-assessor Marcelo Ricardo Silva como ‘laranja’ em duas empresas que seriam ‘de fachada’.

O representante ministerial afirma que a DP Publicidade Propaganda e Eventos Ltda. e a F.R. Publicidade e Atividades Artísticas e de Espetáculos Ltda. “sempre funcionaram como empresas de fachada”, jamais operavam nos endereços em que estão cadastradas tampouco realizaram serviços.

A tática de utilizar o nome do ex-assessor, segundo o MP, era feita para receber transferências da conta dele de modo a ocultar os valores.

“Trata-se de estratagema para ocultar a origem dos valores, já que neste mesmo período Alexandre Frota Andrade possuía contas correntes bancárias e não queria receber os valores diretamente por elas”, diz Mendroni, na peça processual.

Junto à denúncia, o órgão anexa partes de um extrato da conta do ‘laranja’. Segundo as informações do documento, entre julho de 2017 e janeiro de 2018, ele recebeu 25 depósitos em dinheiro que somam R$ 126.110,00. Nos dias seguintes, valores fracionados eram sacados. As retiradas somam R$ 118.778,00.

Ainda de acordo com o promotor, existe “forte suspeita” de que Alexandre Frota também tenha cometido o crime de lavagem de dinheiro. Ele, no entanto, não acusa formalmente o parlamentar pela prática do delito, uma vez que não constata, “ao menos por ora”, identificação de origem ilícita das quantias em dinheiro.

OUTRO LADO

Até o fechamento desta matéria, o deputado Alexandre Frota ainda não havia se manifestado sobre a denúncia do Ministério Público à Justiça.

O espaço, contudo, segue aberto para eventual inserção do posicionamento oficial de defesa do parlamentar.